terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Capítulo 23 – Plano de Invasão do Acampamento do Exército do Leão


         Após a grande decepção que sofreram, os companheiros de Arthur retornavam ao seu acampamento quando foram surpreendidos por um estranho alto, mas ao revelar seu rosto viram que era o próprio Minus que aparecia diante deles em carne e osso. Todos ficaram Atônitos e alegres, mas apenas Zorf foi de encontro a ele e lhe apertou entre os braços por impulso. Todos riram dele e Minus falou:

- Não passou de um plano ridículo de Dort para me desprestigiar, por isso preciso por o meu plano em prática o mais rápido possível, e com isso quero dizer: Hoje, ao pôr completo do sol.

- Plano? – Arthur.

- Sim. O plano de invasão e ocupação do Acampamento do Exército do Leão. Encontrem-me dentro de 60g* no acampamento de vocês, levarei uma pessoa e lhes contarei meu plano.

...

* Contagem de tempo do Povo dos Cinco Reinos, “g” se refere a “Gradus”, que possui a mesma medida dos Graus que conhecemos, que se divide em minigradus (Mg) e microgradus (mg). A contagem é feita baseada nos relógios solares, um dia possui 360g (360 Gradus), meio dia é 180g e uma hora é igual a 30g.

...

- Olá Amigos, essa é Lunah, não se inquietem, ela está conosco. Lunah e 1ª Arqueira da Infantaria de Elite Arqueira, ou seja, ela é a melhor de lá. Sabe... Talvez perca apenas Para seu Comandante, Sirt. Vamos ao planos.

- Olá rapazes. - Lunah era muito feminina para ser um soldado, esbelta, de cabelos negros e pele alva com sardas que pareciam cobrir todo o seu corpo como observado por Arthur que olhava bastante para suas pernas brancas e pouco delineada por músculos, mas de uma beleza bem feminina dado seu papel no exército, os arqueiros não precisavam ser fortes, ter porte físico másculo, precisavam ser astutos e ágeis em batalha. Mas Lunah era especialmente bela, dotada de bochechas naturalmente enrubescidas, olhos castanhos e um sorriso muito encantador, o que se contradizia sua natureza indócil.

- Graças aos meus companheiros dentro do exército, temos um exército de quase 400 soldados, dentre eles por volta de 100 estão ainda dentro do acampamento e os outros estão nos esperando no ponto de onde atacaremos, à sudoeste do acampamento do exército, perto da única porta de acesso ao acampamento. Este plano, eu precisei fazer só, pois não tive tempo para vir consulta-los, mas se tiverem alguma modificação que achem necessária podemos fazê-la.
Estamos divididos em quatro grupos, numerados na sequência em que cada um vai entrar para invasão. O primeiro é grupo de soldados que ainda está dentro do acampamento, será encarregado de atacar ao meu sinal. O segundo foi algo que pensei, não sei se já existe, mas consiste em um grupo de extermínio inicial, deve ser rápido e silencioso, será liderado por Neflin. O terceiro é a nossa linha de frente, deve abater o máximo de inimigos possível, deve ser corajoso e efetivo, será liderado por Arthur. O quarto é a linha de retaguarda, responsável pela defesa e destruição, dessa parte você gosta não é Zorf? – Ele acena com a cabeça – lidere-os com sabedoria. O quinto grupo será o de arquearia, atacará a distância, será protegido pelo grupo de defesa e liderado por Lunah. E Todos receberão as ordens de Argonis aos qual entrego esse exército.

- Mas espere – disse Neflin – E você Minus? Não vai?

- Claro que sim, estarei na Linha de Frente, com os soldados liderados por Arthur, bem no centro do campo de batalha. Agora vamos ao que faremos: inicialmente nos comunicaremos por sinais de fogos de artifício. Soldados nossos estarão infiltrados entre os vigias noturnos, qualquer invasão é esperada, depois de 0g (meia noite), que é quando eles dobram a guarda e por isso estamos invadindo ao pôr do sol. O primeiro grupo vai entrar, sendo rápido e mortal eles se aproveitarão do escuro e da sua agilidade para matar o máximo de soldados inimigos que conseguirem no menor tempo possível.

- Como saberemos quem é aliado e quem é inimigo?

- Nossos aliados estarão com um pedaço de pano Branco no braço esquerdo, assim como todos nós. Continuando: O primeiro sinal vai ser um sinal Branco lançado por mim, aos olhos dos vigias e soldados das guaritas, parecerá uma estrela cadente, com esse sinal os infiltrados entre os vigias matarão os outros vigias e os soldados de guarda nas guaritas próximas ao portão, e abrirão o portão, esse é o único ponto que, se der errado, abortaremos a invasão, depois que os portões forem abertos e o primeiro grupo entrar, não abortaremos mais a missão por nenhum motivo e iremos até o fim a qualquer custo. Depois que o primeiro grupo entrar ele vai ter 30g, tempo curto dado o tamanho do acampamento, terão que cruzar o acampamento de sudoeste a nordeste, imagino que todos deverão chegar ao ponto final do acampamento, mas caso algo dê errado há três sinais de fogo que Neflin vai me mandar após os 30g, Vermelho, se tiver sido um fracasso, Azul, se boa parte tiver chegado ao ponto final a tempo e Verde, se todos tiverem chegado ao ponto final a tempo, se algo der errado com esse grupo vamos ter perdido muitos soldados e ainda alertaremos da nossa invasão, por isso devem ser o mais rápido possível, alertem os soldados para não se prenderem às rixas pessoais. Após receber o segundo sinal de Neflin eu darei o terceiro sinal, branco, que dará início a invasão dos outros grupos cada um dentro do seu papel. Pronto?

- Sim.

- Alguma pergunta, modificação ou algo assim?

- Não – Arthur e Argonis.

- Sim – Neflin - Como alguém reúne 400 soldados em tão pouco tempo?

- Em todo meio de poder há um grupo de insurreição. Bastei falar com as pessoas certas e foi se espalhando naturalmente. Mas algo? Não? Então Soldados, que também são meus amigos e irmãos, o ponto no fim da colina, no nordeste do Acampamento do Exército do Leão é o ponto em que está a nossa imortalidade, e ela é só NOSSA, vamos pegá-la, JUNTOS.

- SIM!

0 comentários:

Postar um comentário