sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Capítulo 12



           Minus e seus amigos estão chegando próximos ao mercado de Makao, já podemos ver, mais a frente, a fumaça das chaminés e uma leve poeira de areia subindo juntos com vários murmúrios distantes dos vendedores de especiarias e compradores que estão passando para visitar o maior mercado dos Cinco Reinos.
Mas antes de chegarem ao mercado eles saíram da trilha, antes de entrar na grande passarela que leva a entrada do Mercado de Makao, entraram em uma trilha alternativa, saindo do chão de pedras para o chão de terra batida, andaram por uma trilha de árvores grandes, em sua maioria eucaliptos colossais. Até que a mata se abriu para uma pequena casa feita de troncos de madeira vermelha, um telhado amarelado, feito de palha e cola, e uma placa anil escrita “Oráculo de Makao”. Ao se aproximarem perceberam que a casa não era tão pequena assim, certamente havia sido feita para que aparentasse ser pequena, mas quando chegaram perto perceberam que a porta era muito grande, muito a cima do normal, devia ter uns dez pés de altura. Minus pegou a imensa maçaneta de ouro e bateu-a na porta podendo ouvir muito bem o eco do som dentro da casa. Quem abriu a porta foi uma mulher de cabelos dourados, olhos da cor do mar, e pele alva, muito bonita.
- Minus, não é? Oráculo Sumna estava esperando por você. Entre. – Todos se impressionaram, menos Neflin.
            Os cinco entraram, a casa possuía apenas um cômodo, e uma cama redonda no centro, sem mesas, cadeiras ou qualquer outro móvel. De frente a entrada, do outro lado da grande casa, havia uma grande chaminé de pedras de mármore, e ao redor várias artefatos místicos, como filtros de sonhos, saquinho pequenos e vermelho dependurados e quadros psicodélicos pendurados na parede anil, nenhuma outra janela ou abertura. Realmente a Oráculo era muito bela, tinha cabelos negros, pele branca e grandes olhos negros, penetrantes e incrivelmente provocantes.
- Minus, filho de...
- Por favor, Oráculo, sem cumprimentos. Há algo que queira me dizer?
- Sim, Touro.
- É alguma previsão, ou algo do tipo? – Perguntou Arthur.
- Os Oráculos não fazem previsões claras, temos sonhos e nem sempre conseguimos interpretá-los claramente – Uma mulher de pele marrom-clara entrou pela porta vestindo um vestido bonito azul, olhou para Minus nos olhos e Minus viu que sés olhos eram de um azul bem claro e Arthur sussurrou para Argonis “a pele, os olhos, ela é parecida com Minus, seriam parentes?”, e Argonis respondeu “Não, Minus é muito mais alto que ela, e não a conheço. Vivo com Minus desde que ele nasceu, saberia se ela fosse parente dele.” – Os Oráculos apenas sonham com o futuro, e as vezes com o passado. Nos nossos sonhos vemos o mundo como os anjos vêem.
- Diga o que tem para me dizer.
- Sim. Vou lhe contar o que sonhei ontem à noite e você fará sua própria interpretação: Eu vi uma mão, a sua mão Minus de Cedros e um dos dedos era você mesmo. Um dos dedos foi contado e jorrou muito sangue e o outro se tornou um monstro de nariz de cachorro, mas olhos e orelhas de gatos. A mão se fechou e socou uma parede de pedra e a destruiu, então percebo que é uma mão esquerda. Depois a mão pega uma pedra na qual está escrito: Aquele para quem os Reis e para o qual os Deuses fazem oração também se curvará o único imortal da terra, a mão vira a placa de pedra e atrás está escrito “Imortal” e a mão parte a pedra ao meio. Depois pega um livro escrito, “Absoluta scientia”. Fim.
- “Absoluta scientia”? O que é isso? Conhece essa língua Minus?  - Arthur
- Não. Mas logo saberemos depois do Mercado de Makao rumaremos para A Biblioteca de Prisma e lá descobriremos.
            Voltando a trilha do Mercado, vemos os cinco entrando na grande passarela de eucaliptos que dá no mercado, uma extensa e bela passagem com pessoas, em número cada vez maior à medida que se aproximam do mercado. Ao redor dezenas de pessoas e todos os Cinco Reinos e estrangeiros, principalmente Laosianos, comprando especiarias, sal, açúcar, tecidos e metais. Mas o que mais chama a atenção é a estátua de ouro de um Macaco com um bastão, em homenagem a um antigo Rei que nascerá em Makao.
- Temos que nos equipar. Sabe... Conheço um bom armeiro de boa qualidade e que fará ótimos preços para nós. – Vão em direção a uma pequena loja, que ficava próxima de lojas grandes e famosas de armas, o que deixou os companheiros de Minus, indignados...
- Minus, espere, vamos nessa – disse Arthur – é a Loja de Armas de prata de Sacrat! Vamos.
- Sim Minus - Neflin – Sempre quis comprar uma adaga de prata
- Não Arthur. Se não gostar do que vai ver aqui pode ir onde quiser, mas primeiro preciso que vejam o que há aqui...

0 comentários:

Postar um comentário